médicos fotografados dde baixo pra cima durante cirurgia

Neurocirurgião é o médico com especialidade em cirurgia do sistema nervoso central e periférico, incluindo o cérebro, a coluna e todas as ramificações nervosas. Sua área de atuação abrange o tratamento cirúrgico das estruturas nervosas, enquanto o neurologista trabalha o diagnóstico e tratamentos convencionais, não cirúrgicos. Ambas as especialidades possuem conhecimento das rotinas neurológicas desde o cérebro até a medula, nervos e músculos, mas apenas o neurocirurgião está apto para diagnosticar a necessidade e a viabilidade de uma cirurgia na coluna, bem como realizar o procedimento.

Quais são os sintomas de doenças neurológicas

Os indícios de desequilíbrios nervosos muitas vezes não recebem a devida importância, pois na maioria das vezes tendem a desaparecer naturalmente ou regridem com tratamentos convencionais, no entanto, é importante estar atento a alguns sintomas simples que podem indicar problemas neurológicos como dor de cabeça, dor na coluna, formigamento, dormência ou perda de sensibilidade, confusão mental ou perda de memória, distúrbios do sono e fraqueza muscular. Quanto antes o tratamento for iniciado menores serão as possibilidades de cirurgia.

Dor de cabeça é um sintoma muito comum que pode manifestar-se de forma independente ou estar relacionado a alguma doença. Quando ela não desaparece em 24 horas com analgésicos simples, o ideal é procurar um médico, geralmente um clínico geral, para um diagnóstico rápido e preciso. A dor de cabeça crônica ou a chamada enxaqueca, principalmente se acompanhada de vômito, alterações na visão ou quando se agrava com exercícios físicos, deve ser avaliada por um especialista.

Formigamento, dormência ou até perda de sensibilidade e força em membros superiores ou inferiores necessitam de uma atenção especial quando ocorrem frequentemente sem um motivo aparente. Quando acompanhada de outros sintomas, como vertigem, confusão mental, dificuldades na fala ou diminuição da visão, podem ser indícios de um Acidente Vascular Cerebral (AVC). Em outros casos, compressões nervosas na coluna também podem causar perda de sensibilidade em estruturas relacionadas às vértebras afetadas.

desenho de homem de costas com dor na coluna lombar

Dor na coluna é um problema geralmente associado ao médico ortopedista e na maioria das vezes regride com analgésicos anti-inflamatórios e sessões de fisioterapia ou reeducação postural. Contudo, quando há indícios de compressão nervosa pode ser necessário procurar um neurologista ou neurocirurgião. Leia mais sobre hérnia de disco

Perda de memória momentânea ou um esforços um pouco maiores para lembrar de fatos recentes costumam ser comuns em quem tem uma rotina agitada e desempenha diversas tarefas diárias. É importante notar se a frequência dos episódios tem aumentado nos últimos tempos ou se existem indícios de confusão mental. Esses sintomas mais agudos podem justificar a visita a um neurologista, que poderá tratar ou prevenir o avanço de doenças como o Alzheimer, especialmente comum após os 60 anos.

Distúrbios do sono como sudorese noturna, insônia ou apneia podem ter razões neurológicas. Sono excessivo pode estar relacionado a doenças como esclerose múltipla, narcolepsia ou indicar tendência a um AVC.

Fraqueza muscular pode causar dificuldade para realizar movimentos simples como levantar um braço. ocorre om frequência vem acompanhada de dificuldade de respirar, falar mastigar ou engolir uma ajuda médica pode ser necessária.

Grande parte dos sintomas podem regredir naturalmente e a maioria das doenças neurológicas são controladas com tratamentos convencionais. No entanto, quando a dor e os sintomas apresentam-se resistentes, pode ser necessário procurar um neurocirurgião. Dificilmente algum caso precisará de cirurgia para ser solucionado, mas é importante estar atento aos sintomas e procurar ajuda médica, especialmente se você tem histórico familiar de problemas neurológicos.

Na consulta de avaliação presencial o neurocirurgião irá avaliar suas condições físicas e histórico clínico, podendo solicitar exames de imagem para definir o diagnóstico e a necessidade ou não de cirurgia. A maioria das doenças neurológicas apresenta índices de remissão satisfatórios com tratamentos convencionais, não cirúrgicos. Mas diversas delas, quando não identificadas precocemente, podem evoluir e demandarem a avaliação com um neurocirurgião.

Qual a especialidade de um neurocirurgião?

Neurocirurgião é o médico especialista em cirurgia do sistema nervoso central e periférico, que abrangem o cérebro, a coluna e todas as ramificações nervosas responsáveis pelos cinco sentidos e por todos os movimentos do corpo. A formação em neurocirurgia envolve seis anos de medicina e cinco de especialização, para que o médico possa realizar procedimentos invasivos como ‘Neurocirurgião Geral’. Em uma visão macro podemos dividir as cirurgias neurológicas em cranianas, espinhais e dos nervos periféricos, podendo o médico realizar ainda ‘subespecialização’ através de formação externa ou de um sexto ano opcional dentro do programa de residência. As subespecialidades da neurocirurgia são:

  • Cirurgia da Base do Crânio
  • Tratamento Neurocirúrgico da Epilepsia
  • Nervos Periféricos, que trata a perda de sensibilidade causada pela neuropatia periférica
  • Neuroradiocirurgia, que trata tumores cerebrais por radiocirurgia
  • Neurointensivismo, que trata casos de urgência como acidente vascular cerebral
  • Neurotraumatologia e Neurocirurgia de Urgência/Emergência, que trata traumatismo craniano
  • Hidrodinâmica e Neuroendoscopia, que trata a hidrocefalia
  • Neurocirurgia Oncológica, que trata tumor cerebral
  • Neurocirurgia Vascular, que trata o aneurisma cerebral
  • Neurocirurgia Endovascular, que trata os problemas circulatórios como estenose da carótida de forma minimamente invasiva.
  • Neurocirurgia Espinhal
  • Neurocirurgia Pediátrica
  • Neurocirurgia Funcional

Muitas vezes o neurocirurgião adquire o título de subespecialista em mais de um núcleo de atuação, pois muitas das subespecializações podem se sobrepor ou serem complementares, como no caso da neurocirurgia espinhal e da neurocirurgia funcional ou da neurocirurgia oncológica e da neuroradiocirurgia.

Quando procurar um neurocirurgião

A maioria dos pacientes que procuram um neurocirurgião são encaminhados por um clínico geral, um neurologista ou um ortopedista, no caso de problemas na coluna. Isso acontece por que o médico neurocirurgião é o especialista que realiza o tratamento cirúrgico das doenças do sistema nervoso como aneurisma, hidrocefalia e tumor cerebral. O sistema nervoso é o canal de comunicação do cérebro que se estende pela coluna para transmitir todo tipo de informação para as mais diversas regiões corporais, coordenando desde o ato de caminhar até os batimentos do coração. A neurologia é a área da medicina dedicada ao estudo dessa vasta e intricada estrutura constituída pelo sistema nervoso central, periférico, autônomo, simpático e parassimpático, além de todos os músculos e glândulas que recebem estímulos nervosos e seus revestimentos, como os vasos sanguíneos. O médico neurologista é especialista em diagnóstico e tratamento de todas as doenças do sistema nervoso, desde as complicações neurodegenerativas até os distúrbios do sono, mas não realiza procedimentos invasivos. Quando surge a hipótese do tratamento cirúrgico, o neurologista encaminha o paciente para um neurocirurgião, que irá avaliar a necessidade e a possibilidade desse tipo de abordagem e junto ao neurologista indicar ou não a opção para o paciente. O papel da equipe médica é esclarecer os prós e contras da neurocirurgia, bem como os possíveis desdobramentos de conviver com a doença ou prosseguir com tratamentos convencionais, cabendo ao paciente a decisão final.

Neurocirurgia para dor na coluna

Dor na coluna vertebral seja lombar ou cervical pode ter várias origens, desde estresse muscular, que pode ser tratado com analgésicos e anti-inflamatórios, deformidades como escoliose ou compressões nervosas que podem causar dor irradiada para outros membros. A primeira alternativa para tratar dor nas costas é um médico de coluna, geralmente um ortopedista, mas com o avanço da medicina foram criadas inúmeras subespecialidades. Atualmente existem profissionais dedicados exclusivamente a determinadas partes do corpo como mão, pé, joelho, articulações e claro, coluna. Mas até mesmo um ortopedista especialista em coluna tem áreas da espinha com as quais está mais acostumado a trabalhar, como pescoço, coluna cervical ou torácica e inclusive problemas com os quais está mais habituado como dor na lombar ou tratamento de hérnia discal. O mesmo acontece com o neurocirurgião especialista em coluna, que por ter estudado todo o sistema nervoso central e periférico, que inicia no cérebro mas se estende pela coluna, possui tanto conhecimento da espinha quanto um ortopedista cirurgião. Um neurocirurgião especialista em coluna aprofundou seus estudos e dedicou boa parte de sua prática diária ao tratamento de dor na lombar ou dor na cervical através de cirurgia na coluna para descompressão nervosa. O desgaste das vértebras, má postura ou mesmo fraturas podem pressionar terminações nervosas e causar dor. A intensidade pode evoluir desde formigamento, dormência e falta de sensibilidade até episódios de dor incapacitante, sendo necessária a realização de cirurgia da coluna para aliviar o comprometimento de estruturas neurológicas importantes que pode trazer dificuldades para andar e até mesmo para enxergar.

Neurocirurgia para tratamento de tumor cerebral

Tumor cerebral pode ser maligno ou benigno, quando é primário, originado no próprio crânio, raramente dissemina-se, no entanto, a maioria das incidências de câncer cerebral tem origem secundária, são metástases de outra parte do corpo. As causas do câncer são desconhecidas e a doença dificilmente apresenta sintomas, o ideal é a realização de exames periódicos para diagnóstico precoce, especialmente em quem tem histórico familiar. As chances de cura são maiores quando o tumor está em estágio inicial, muitas vezes dispensando uma cirurgia. Sequelas de um câncer no cérebro dependem das estruturas atingidas e claro, da resposta do paciente ao tratamento. Saiba mais sobre cirurgia de tumor cerebral.

Confira os planos médicos atendidos: Consulte Convênios.


foto 3x4 do neurocirurgiao rodrigo mafaldo

Dr. Rodrigo Cadore Mafaldo
CRM: 30475  RQE: 25595

Realizou residência médica em neurocirurgia no Hospital Santa Monica, GO.
Especialista em Cirurgia Minimamente Invasiva do Crânio pela Universidade de Ohio nos Estados Unidos da América.
Estudou Técnicas Avançadas de Neurocirurgia na Universidade de Tübingen na Alemanha